quarta-feira, 09 de janeiro, 2013

Venda de ventiladores e bebidas dispara

Apesar de as temperaturas já estarem mais amenas, o forte calor registrado em praticamente todo o país em dezembro - quando os termômetros bateram em 43,2º C no Rio de Janeiro e 40,7º C no Rio Grando Sul - fez as vendas de bebidas, protetor solar, inseticida e, principalmente, de ventilador e aparelhos de ar-condicionado dispararem. A demanda foi tão forte que em algumas regiões houve falta de produtos, o que fez varejistas e a indústria correrem para reabastecer as gôndolas.
O destaque ficou por conta dos eletrodomésticos destinados a refrescar as altas temperaturas, cujas vendas chegaram a crescer até 257%, segundo as varejistas ouvidas pelo Valor.
Nos 138 hipermercados Extra do país, a procura pelos aparelhos de ar-condicionado saltou 257% e de ventilador, 150%. "Foi a maior venda registrada na história do Grupo Pão de Açúcar [sem considerar as redes Ponto Frio e Casas Bahia]. O pico foi o dia 26 de dezembro", disse Fabbio Lopez Rovito, gerente comercial do Extra. Esses percentuais referem-se ao período de outubro a dezembro, na comparação com igual período de 2011, mas Rovito ressaltou que o crescimento foi puxado pelo último mês do ano.
No Walmart, o boom ocorreu em 27 e 28 de dezembro, logo após o recorde de calor que aconteceu em 26 de dezembro. "Nesses dois dias, houve um aumento de 50% nas vendas em relação aos outros dias do mês", disse César Cinelli, vice-presidente da área de mercearia do Walmart.
Na varejista gaúcha Colombo, o desempenho também foi expressivo, com alta de 127% em dezembro. Ainda no Rio Grande do Sul, a Manlec viu a comercialização de condicionadores de ar dobrar e de ventiladores aumentar 40%. Na carioca Casa & Video, a demanda foi 50% superior - ficando bem acima dos 20% projetados para essa época do ano. No site da Leader, também no Rio, a procura dobrou. No Walmart, a expectativa é encerrar o verão com alta de 35%.
Com a procura bem acima do esperado, muitas lojas ficaram desabastecidas. Na rede Leader, os modelos mais baratos de ventiladores, purificadores e aparelhos de ar-condicionado estão esgotados. Na concorrente Casa & Video, a forte demanda pegou a rede de surpresa, porque o calor chegou mais cedo do que na temporada passada. No verão anterior, o calor foi mais intenso no fim de janeiro e em fevereiro. "Repomos os estoques diariamente pela manhã. À tarde, algumas lojas já não tinham ventilador", disse José Mauro Abrahão, diretor comercial da Casa & Video.
As gaúchas Colombo e Malec também enfrentaram dificuldades para repor alguns modelos dos eletrodomésticos por conta da forte procura, mas atualmente, segundo as varejistas, o estoque já está normalizado. No Extra, os produtos chegavam no Centro de Distribuição (CD) e no mesmo dia eram enviados às lojas. As metas de vendas planejadas para serem atingidas em março deste ano foram batidas já em dezembro graças ao calor nos dias próximos ao Natal, segundo o gerente comercial do Extra.
No segmento de bebidas, também houve um boom. No Walmart, que conta com mais de 540 lojas no país, as vendas tiveram alta de 20%. "O calor foi responsável por 70% desse crescimento. Nessa época do ano, nossa média de expansão é de 10%", disse Cinelli. No Rio Grande do Sul, as vendas de cervejas nos supermercados teve alta de 30% e de refrigerantes, 15%, segundo informações da Agas, entidade que representa o setor no Estado.
Na outra ponta, a indústria também corre para atender a demanda. A Rio de Janeiro Refrescos (RJR), engarrafadora dos produtos da Coca-Cola no Rio e Espírito Santo, está produzindo e entregando os refrigerantes até aos domingos. Segundo a empresa, algumas categorias de produtos registraram vendas até 100% maiores em relação a dezembro de 2011. "Para minimizar os impactos, estamos atuando para ampliar a oferta de nosso portfólio, o que inclui produção e entrega aos domingos até que a situação se normalize", informou, em nota, a RJR.
O Grupo Petrópolis, registrou elevação de cerca de 12% nas vendas da cerveja Itaipava, o carro chefe do grupo.
A indústria Viton 44, que produz o refresco Guaravita, dobrou suas vendas em dezembro por conta das altas temperaturas no Rio. A empresa vendeu 36 milhões de copos do guaraná Guaravita e outras 5 milhões de garrafas de Guaraviton (bebida com ginseng, catuaba, açaí ou laranja) em dezembro no Rio e no Espírito Santo, registrando um faturamento de R$ 3 milhões. "Foi, disparado, o melhor desempenho de vendas em 2012, e atribuímos isso ao forte calor de dezembro", afirmou Neville Proa, diretor-geral da Vitton 44.
O Hortifruti, uma das maiores redes especializadas em frutas e verduras, apurou crescimento de 27,4% na venda de frutas e água de coco em dezembro. "Geralmente nessa época há um aumento de consumo desses produtos, mas neste ano a demanda foi um pouco maior do que no ano passado devido à forte onda de calor no Rio", afirmou Rone Laiber, diretor comercial do Hortifruti.
Outros segmentos que viram as vendas aumentarem de forma exponencial foram o de protetor solar e o de inseticidas e repelentes. "A venda de inseticidas realmente nos surpreendeu, cresceu 40%. Também houve uma forte procura pelos modelos automáticos, que têm um preço maior", disse Robson Parreiras, diretor comercial das áreas de perfumaria e limpeza do Extra. Já a demanda por protetor solar aumentou 20% nas lojas do país e 50% no Rio de Janeiro. No Walmart, o produto para inibir a presença de pernilongos também foi relevante, ficando bem acima dos 20%, segundo Cinelli.
Outros artigos relacionados ao verão como água com sabor, espumantes, cadeiras de praia, piscinas de plástico, entre outros, também tiveram altas de vendas em proporções semelhantes aos dos termômetros.
Valor
Produtos relacionados
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2013 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP