quinta-feira, 05 de dezembro, 2013

Sem sacolas plásticas, gasto das famílias com transporte de mercadoria subiria 146%

Estudo realizado pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) afirma que, se as sacolas plásticas deixassem de ser entregues gratuitamente pelos supermercados, a participação dos gastos dos consumidores com embalagens para transporte das compras e acondicionamento de lixo subiria de 0,1335% para 0,328% de seu orçamento. Parece pouco, mas, de acordo com a análise, o percentual se aproxima do gasto com itens essenciais, como feijão (0,393%) e arroz (0,743%).
A pesquisa foi realizada em 648 domicílios da cidade de São Paulo, entre julho e agosto deste ano. Esses lares gastam, somados, um total mensal de R$ 2.781,08 com embalagens para carregar compras e descartar o lixo doméstico. Ou seja, R$ 4,29 por domicílio. Na hipótese das sacolas plásticas deixarem de ser entregues gratuitamente pelos supermercados, a Fipe aponta que o gasto por família aumentaria de R$ 4,29 para R$ 10,56, totalizando R$ 6.844,14.
Ainda segundo a pesquisa, os consumidores de baixa renda seriam os maiores prejudicados. Isso ocorre porque seus gastos com embalagens para transporte de compras e descarte do lixo praticamente não existem, uma vez que utilizam quase que exclusivamente as sacolinhas de supermercado para esses fins.
Para estimar um cenário sem sacolas plásticas, a Fipe avaliou o aumento de demanda de sacolas retornáveis e sacolas biodegradáveis no transporte das mercadorias até a residência. Além disso, levou em conta também o aumento da demanda de sacos de lixo em substituição às sacolas plásticas no uso domiciliar.
Supermercado Moderno
Produtos relacionados
Ver esta noticia em: english
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2019 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP