quarta-feira, 01 de novembro, 2017

Cobre opera sem direção única, em meio a fortalecimento do dólar

Os futuros de cobre operam sem direção única, em meio ao fortalecimento do dólar, que pesa no metal negociado em Nova York. Por volta das 10h (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) tinha leve alta de 0,15%, a US$ 6.872,50 por tonelada. Já na Comex, em Nova York, o cobre para dezembro caía 0,29%, a US$ 3,1030 por libra-peso, às 11h04 (de Brasília). O dólar mostra tendência de alta nos negócios da manhã, tornando o cobre mais caro para investidores que utilizam outras moedas. Neste semana, investidores dos mercados de metais ficarão atentos a anúncios de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) e do Banco da Inglaterra (BoE). Espera-se que o Fed mantenha sua política inalterada amanhã, mas prepare o terreno para uma nova elevação de juros em dezembro. Já o BC inglês poderá aumentar sua taxa básica pela primeira vez em mais de uma década na quinta-feira. Existe a possibilidade também de que o presidente dos EUA, Donald Trump, anuncie nos próximos dias quem será o novo comandante do Fed, antes de embarcar para uma viagem à Ásia. Entre outros metais na LME, o viés era majoritariamente positivo. No horário indicado acima, o zinco avançava 1,31%, a US$ 3.253,50 por tonelada; o estanho subia 0,13%, a US$ 19.460,00 por tonelada; o níquel aumentava 1,41%, a US$ 11.830,00 por tonelada; e o chumbo tinha valorização de 0,13%, a US$ 2.424,00 por tonelada. Única exceção na LME, o alumínio recuava 0,19%, a US$ 2.156,00 por tonelada.
Estadão – 31/10/17
Ver esta noticia em: english espanhol
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2018 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP