terça-feira, 14 de novembro, 2017

Varejo de moda registra crescimento nas vendas e projeta um Natal melhor

São Paulo - Os varejistas de moda listados na bolsa de valores apresentaram melhora consistente da receita líquida no terceiro trimestre deste ano, em decorrência de uma alta do fluxo e medidas internas. Das cinco empresas analisadas, quatro tiveram expansão do indicador superior aos dois dígitos.
Juntas, Renner, Cia. Hering, Marisa, Guararapes - dona da Riachuelo e Restoque registraram no período de julho a setembro avanço de 14,5% na receita líquida, ante ao mesmo intervalo do ano passado, totalizando R$ 4,302 bilhões. O lucro líquido somado das cinco também avançou, em mais de 77%, para cerca de R$ 185 milhões.
O desempenho, segundo as companhias, foi estimulado por uma melhora do ambiente econômico, que se refletiu em aumento do fluxo de consumidores nas lojas e do valor médio gasto. Em teleconferência com analistas, Laurence Gomes, diretor de relações com investidores da Renner, afirmou que o ambiente tem avançado de forma gradual. "No início do ano, acreditávamos em uma recuperação e um ambiente de consumo que fosse melhorando gradualmente, e estamos vendo exatamente isso."
O executivo destacou o impacto positivo da melhora de aspectos macroeconômicas, como a inflação baixa, taxa de juros em declínio e queda do comprometimento da renda dos consumidores. Para os próximos meses, as perspectivas são otimistas. Segundo ele, a empresa está bem preparada para o Natal, com uma pirâmide de preços e produtos equilibrada e um estoque bem composto. "Também acreditamos na continuidade da melhora do ambiente econômico", diz.
A perspectiva melhor para os próximos meses foi citada pelas outras empresas e resumida pelo presidente da Associação Brasileira do Varejo Têxtil (Abvtex) - entidade que representa as grandes varejistas do ramo -, Edmundo Lima. Em entrevista ao DCI, o executivo afirmou que as empresas do setor, de modo geral, estão trabalhando com uma expectativa positiva para o final do ano. "Ano passado tivemos um Natal quase igual ao de 2015, mas esse ano já devemos ter um crescimento nas vendas."
Ele explicou que o retorno ao consumo começou no início do ano e tem se acentuado trimestre a trimestre. "2017 tem se mostrado um ano melhor para o setor, obviamente que em cima de uma base baixa e impactado pela liberação dos recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço."
O presidente da Marisa, Marcelo Araújo, se mostrou um pouco mais conservador. De acordo com ele, a empresa espera um crescimento no quarto trimestre, em relação ao ano anterior, mas não faz apostas para uma retomada espetacular. "Nossa expectativa para o quarto trimestre é de um cauteloso otimismo", disse em teleconferência. Ele explicou que o fluxo nas lojas da Marisa tem se mostrado volátil, mas que o tíquete médio está em ascensão e a conversão também está crescendo.
Presidente da Guararapes, dona da Riachuelo, Flavio Rocha também ressaltou a melhora do ambiente para os negócios. "Estamos em um bom momento da empresa, que reflete aspectos de conjuntura e mudanças internas". Segundo ele, a empresa está há quatro trimestres com melhora nos indicadores. "A palavra que define esse resultado é consistência. Estamos com ganhos consistentes nas vendas 'mesmas lojas' e nas margens", afirmou.
DCI - 14/11/2017
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2017 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP