quinta-feira, 30 de março, 2017

Futuros de cobre recuam com sinais de fim de impasse na Indonésia

Os futuros de cobre operam em baixa na manhã desta quinta-feira (30), em meio a indicações de que um impasse na Indonésia que compromete a oferta do metal está aparentemente próximo de ser superado. Por volta das 7h20min (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) caía 0,66%, a US$ 5.866,00 por tonelada. Já na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova Iorque (Nymex), o cobre para maio recuava 0,50%, a US$ 2,6640 por libra-peso, às 7h50min (de Brasília). Relatos indicam que a Freeport-McMoRan e o governo indonésio estão no estágio final de negociações que podem permitir à mineradora retomar exportações de cobre. A Freeport teria concordado em seguir novas regras estipuladas por Jacarta, segundo o ministro de Energia e Mineração da Indonésia, Ignasius Jonan, que foi citado em uma nota do Commerzbank. No Chile, a greve na mina de Escondida foi suspensa, mas a paralisação de 44 dias poderá ter um impacto na sua produção de cerca de 250 mil toneladas neste ano, de acordo com estimativa de Gustavo Lagos, analista da Investec. Antes da greve, a proprietária da mina, a BHP Billiton, previa produzir um pouco mais de 1 milhão de toneladas de cobre em sua operação chilena. Entre outros metais básicos na LME, o viés era majoritariamente negativo. No horário citado acima, o alumínio para entrega em três meses se mantinha estável, a US$ 1.955,00 por tonelada, mas o chumbo recuava 0,77%, a US$ 2.325,00 por tonelada, o zinco cedia 0,58%, a US$ 2.842,50 por tonelada, o estanho caía 0,75%, a US$ 19.950,00 por tonelada, e o níquel tinha queda de 0,40%, a US$ 9.985,00 por tonelada.
Jornal do Comércio - 30/03/2017
Ver esta noticia em: english espanhol
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2018 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP