terça-feira, 23 de maio, 2017

Dólar sobe e encosta em R$3,28 com temor sobre cena política

São Paulo – O dólar fechou em alta nesta segunda-feira, encostando em 3,28 reais, com os investidores temerosos com a cena política depois das denúncias que atingiram em cheio o presidente Michel Temer na semana passada e com as consequências sobre o andamento de reformas no Congresso Nacional, sobretudo a da Previdência. O dólar avançou 0,59 por cento, a 3,2763 reais na venda, depois de fechar a semana passada com alta acumulada de 4,26 por cento. Na máxima do dia, a moeda norte-americana marcou 3,3197 reais e, na mínima, 3,2582 reais. O dólar futuro tinha alta de cerca de 0,65 por cento no final da tarde. “O maior risco para o mercado é Temer continuar e não ter governabilidade, não conseguir aprovar as reformas”, afirmou o operador da corretora H.Commcor Cleber Alessie Machado. “Há ainda preocupação com eleição direta, por causa do risco de entrar algum partido que não dê prosseguimento às reformas”, acrescentou ele. Temer é alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da Justiça, em investigação aberta com base em acordo de delação fechado por Joesley Batista, do grupo JBS. Temer teve uma conversa gravada pelo empresário. O STF só vai analisar o pedido do presidente para suspender o inquérito, que estava previsto para esta quarta-feira, após a conclusão de uma perícia na gravação. Ou seja, o inquérito continua correndo normalmente. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou mais cedo que o cronograma da reforma da Previdência deverá sofrer atraso em função da crise política, mas que acredita na aprovação da proposta mesmo se Temer não seguir no comando do país. A ideia do governo é manter o cronograma de votações importantes no Congresso para mostrar que ainda respira e tem força, disseram fontes à Reuters. “O cenário doméstico é de completa incerteza… A volatilidade nos mercados locais deve continuar”, resumiu a Advanced Corretora em relatório. O Banco Central deu continuidade à sua intervenção diante do nervosismo do mercado e vendeu nesta sessão todos os 40 mil novos swaps cambiais tradicionais –equivalentes à venda futura de dólares. O BC também vendeu todos os 8 mil contratos para a rolagem dos swaps que vencem em junho, que totalizam 4,435 bilhões de dólares. Faltam ainda rolar 2,435 bilhões de dólares desse total. O presidente da autoridade monetária, Ilan Goldfajn, disse que continuará monitorando o impacto das notícias da cena política nos mercados financeiros e atuando para mantê-los em plena funcionalidade.
Exame - 22/05/2017
Ver esta noticia em: english espanhol
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2017 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP