terça-feira, 27 de junho, 2017

Dólar cai mais de 1%, mas cautela com risco político continua

São Paulo – O dólar caiu mais de 1 por cento e voltou ao nível de 3,30 reais nesta segunda-feira, corrigindo parte da alta de 1,65 por cento acumulada nas quatro sessões anteriores e em movimento influenciado pelo exterior, mas sem deixar de lado o risco político doméstico. O dólar recuou 1,13 por cento, a 3,3015 reais na venda, depois de bater a mínima de 3,2968 reais no dia. O dólar futuro tinha baixa de cerca de 1,25 por cento no final da tarde. “Houve desmonte de posições defensivas da semana passada, mas o mercado aqui foi muito pequeno”, resumiu o operador da Spinelli Corretora, José Carlos Amado. Os investidores passaram o dia à espera de novidades no cenário político, como a apresentação de denúncia do procurador-geral da república, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer, o que deve ocorrer em breve. Temer é alvo de inquérito autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) pelos crimes de corrupção passiva, obstrução de Justiça e organização criminosa, em investigação que tem como base a delação do executivo da JBS Joesley Batista. Na sexta-feira, a Polícia Federal concluiu que não houve edição na gravação da conversa entre Joesley e o presidente. “Joga contra Temer o fato de a Polícia Federal ter concluído (em perícia) que a gravação do executivo da J&F não foi editada, o que vai contra a defesa do presidente e alimenta a cautela no Planalto, que já se mobiliza para definir reações a denúncia”, escreveu a corretora Correparti em relatório a clientes. O mercado também acompanhou o comportamento de parte das moedas no exterior, onde tinha baixa firme ante o rand sul-africano e o peso mexicano, entre outras. De forma geral, o mercado estava reagindo às avaliações de que o Federal Reserve, banco central norte-americano, pode não elevar muito os juros na maior economia do mundo. Juros menores nos Estados Unidos ajudam a preservar a atratividade de outras praças financeiras, como a brasileira, evitando a saída de recursos. O Banco Central brasileiro vendeu integralmente a oferta de até 8,2 mil swaps cambiais tradicionais –equivalente à venda futura de dólares– para rolagem dos contratos que vencem julho. Com isso, já rolou 5,740 bilhões de dólares do total de 6,939 bilhões de dólares que vence no mês que vem.
Exame - 26/06/2017
Ver esta noticia em: english espanhol
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2017 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP