terça-feira, 11 de julho, 2017

Com melhoria de preço, receita com exportação de minério aumenta 40%

O avanço da demanda chinesa impulsionou o preço internacional do minério e contribuiu para que a receita sul-mato-grossense com as vendas do produto aumentasse em 40% no primeiro semestre, totalizando US$ 93,47 milhões. Apesar do incremento, esse valor continua, historicamente, baixo. Em números absolutos, a receita com as exportações sul-mato-grossenses de minério cresceu US$ 26,82 milhões. De janeiro a junho, as vendas externas da commodity, saídas do Estado, somaram US$ 66,923 milhões, conforme dados da Aliceweb ( Sistema de Análise das Informações de Comércio Exterior), do Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior). O volume exportado, no entanto, caiu, no mesmo período, 5,88%, de 2,17 milhões de toneladas para 2,04 milhões de toneladas. Isso significa que houve incremento do preço médio do insumo – passou de US$ 30,79 para US$ 45,83 a tonelada, variação de 48%. Mesmo com o aumento, a receita resultante das exportações sul-mato-grossenses de minério permanece relativamente em baixo patamar. No primeiro semestre de anos anteriores, o montante chegava a superar a casa dos US$ 200 milhões. Em 2011, por exemplo, totalizou US$ 276,65 milhões. O consultor de comércio exterior, Aldo Barrigosse, nota que houve leve recuperação, neste ano, dos preços do minério, em decorrência da maior demanda mundial. “Mas, frente a outros anos, ainda estão baixos”, acrescenta. Ele lembra que a China, maior compradora mundial, impulsionava muito a oferta quando, há mais de uma década, investia, mais intensamente, em infraestrutura e outros setores que demandam minério. Esse cenário foi mudando e a produção e venda da commodity recuando. China – Neste ano, a China alargou sua importação de minério, reaquecendo o mercado do setor. Do Brasil, os chineses adquiriram, de janeiro a junho, 107,86 milhões de toneladas do insumo, o maior volume de toda série histórica do Mdic. Essa quantidade corresponde a 96% de tudo que o País vendeu da commodity (111,59 milhões de toneladas) no primeiro semestre. Mato Grosso do Sul destina quase toda sua produção de minério à Argentina. No entanto, o preço internacional do insumo é regulado pelo mercado chinês. Por esse motivo, pode contabilizar o avanço de receita, mesmo com volume vendido em queda. A melhoria pontual dos preços no primeiro semestre deste ano ainda não é suficiente para reduzir a retração da produção em Corumbá, polo sul-mato-grosssense na extração de minério. No primeiro deste ano, a Vale, com estoque, reduziu a zero a extração de minério de ferro em Corumbá. Nos três primeiros meses do ano passado, a produção foi de 329 mil toneladas.
Infomet - 11/07/2017
Ver esta noticia em: english espanhol
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2017 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP