sexta-feira, 07 de julho, 2017

Dólar fecha com alta de 0,18% ante real com cena política

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar terminou a quinta-feira com leve alta, ainda rondando o nível de 3,30 reais, com os investidores cautelosos com o cenário político local e após os sinais mais hawkish por parte dos bancos centrais mundiais. O dólar avançou 0,18 por cento, a 3,2985 reais na venda, depois de bater em 3,3217 reais na máxima do dia. O dólar futuro tinha elevação de cerca de 0,40 por cento. "De manhã, o mercado estava mais nervoso com o cenário político, mas à medida que o dia foi passando e o noticiário não trouxe nada forte, aliviou a pressão", comentou o gerente de câmbio da Treviso Corretora, Reginaldo Galhardo. A moeda, desta forma, continua trabalhando sem força para ir para qualquer direção e, nos últimos dias, tem rondado a casa de 3,30 reais. O governo sabe que ainda não tem maioria segura na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados para garantir que seja rejeitada a denúncia contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva. Além disso, o governo corre contra o tempo, mas o presidente da CCJ, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), não garantiu que a votação do parecer do relator da denúncia, deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), vai ocorrer até a quinta-feira da próxima semana. Este era o prazo limite previsto pelos governistas para que o caso fosse votado na comissão a fim de ser, posteriormente, apreciado pelo plenário até o dia 17 de julho, um dia antes do recesso parlamentar. Desta forma, a decisão pode acontecer apenas em agosto. Segundo especialistas, a alta do dólar sobre o real também foi influenciada pelo desempenho da moeda ante divisas de emergentes no exterior, após sinais de recrudescimento nas políticas dos bancos centrais. O dólar tinha alta ante o rand sul-africano e a lira turca. O Banco Central Europeu (BCE) informou, na ata do seu último encontro de política monetária, que abriu as portas para a retirada do comunicado de uma promessa antiga de expandir ou prorrogar o programa de compra de ativos do banco se necessário. Na véspera, a ata do Fed mostrou que seus membros estavam divididos sobre o cenário para a inflação e como ela pode afetar o ritmo futuro de altas dos juros, e que várias autoridades queriam anunciar o início do processo de redução da carteira do banco central, mas outros queria aguardam até mais tarde. Juros maiores em países desenvolvidos tendem a reduzir a atratividade dos países emergentes para os investidores. O mercado, agora, vai aguardar o relatório do mercado de trabalho norte-americano em busca de pistas sobre o aumento de juros nos EUA. O Banco Central brasileiro não anunciou qualquer intervenção no mercado de câmbio nesta sessão. Em agosto, vencem 6,181 bilhões de dólares em swap cambial tradicional --equivalente à venda futura de dólares.
Reuters - 06/07/2017
Ver esta noticia em: english espanhol
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2017 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP