sexta-feira, 11 de agosto, 2017

Dólar fecha em alta e vai a R$ 3,17

O dólar fechou em alta nesta quinta-feira (10), na terceira sessão consecutiva de valorização e no nível mais alto desde meados de julho, com os investidores reagindo mal ao fato de o governo estar se preparando para anunciar meta de déficit primário maior e às tensões crescentes entre Estados Unidos e Coreia do Norte. A moeda norte-americana avançou 0,74%, vendida a R$ 3,1756, após ter encerrado na véspera a R$ 3,1523. Veja a cotação Trata-se do maior patamar de fechamento desde 17 de julho (R$ 3,1814). Segundo a Reuters, na máxima da sessão, a moeda norte-americana chegou a R$ 3,1735, acumulando alta de 1,61% em três pregões. "O cenário causa desconforto e pode levar o dólar a 3,20 reais no curto prazo", afirmou à Reuters o superintendente da corretora Correparti, Ricardo Gomes da Silva. Revisão da meta fiscal Após mais de três horas de reunião entre o presidente Michel Temer, os ministros da área econômica e parlamentares, não houve definição sobre a mudança da meta fiscal deste ano e de 2018. Segundo Ministério do Planejamento, equipe econômica deve voltar a discutir o assunto na próxima segunda-feira De acordo com o blog do João Borges, o governo já chegou à conclusão de que não há escapatória e será necessária a revisão das metas deste ano e de 2018. Para 2017, a meta já é de déficit (despesas maiores que receitas) de até R$ 139 bilhões. Para 2018, o teto para o rombo nas contas públicas é de R$ 129 bilhões. O mercado passou a ficar mais preocupado com a força política do presidente Michel Temer, que usou boa parte do Orçamento destinado a emendas parlamentares neste ano para garantir apoio na Câmara dos Deputados e barrar a denúncia por crime de corrupção passiva contra ele, destaca a Reuters. Os agentes econômicos temem que as reformas, em especial e da Previdência, não consiga avançar no Congresso Nacional. Cenário externo A questão geopolítica entre Estados Unidos e Coreia do Norte também foi acompanhada de perto pelos investidores. Mais cedo, a Coreia do Norte ironizou os alertas do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que Pyongyang irá enfrentar "fogo e fúria" se ameaçar os norte-americanos, e divulgou planos detalhados para um ataque com mísseis perto de Guam, território dos EUA no oceano Pacífico. À tarde, Trump disse que os Estados Unidos sempre vão "considerar negociações" com a Coreia do Norte, mas advertiu que o país deve ficar muito preocupado se fizer algo aos EUA. O dólar caía ante uma cesta de moedas e recuou para a mínima em oito semanas ante o iene, com os investidores procurando ativos menos arriscados.
G1 - 10/08/17
Ver esta noticia em: english espanhol
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2017 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP