terça-feira, 29 de agosto, 2017

Estoques de algodão sofrem danos com Furacão Harvey

Chuvas torrenciais provenientes do Furacão Harvey estão provocando estragos na maior área produtora de algodão dos Estados Unidos, atingindo o estado do Texas em um momento no qual muitos produtores estão armazenando o excedente de produtos após uma superssafra. Os preços da commodity vêm apresentando altas de mais de 2% ao longo do dia na Bolsa de Nova York (ICE Futures Group). Pelo menos 100 armazéns de algodão explodiram perto da comunidade de Gregory, no Texas, como informou Jeff McKamey, um agricultor que possui uma descaroçadora de algodão que sofreu menor impacto, com a explosão de uma parte da tubulação e uma parte do telhado soprada longe. A área fica ao sudoeste de Rockport, Texas, onde o Furacão Harvey esteve presente na sexta-feira (25). O algodão não foi varrido pela tempestade, mas pode sofrer danos ou estar muito úmido para o desencaroçamento, segundo McKamey. “Nós tínhamos o maior número de algodão em estoque de todos os tempos no Condado de San Patrício quando o furacão atacou”, disse. “Foi uma péssima hora”. Este foi o furacão mais forte a atingir os Estados Unidos desde 2004. Agora, ele se transformou em uma tempestade tropical, com intensas chuvas previstas. Os embarques de grãos foram suspensos no início dessa semana, já que as instalações portuárias se preparam para inundações, surtos de tempestade e possíveis cortes de energia. Por volta das 14h55, o contrato dezembro/17 para o algodão em Nova York estava cotado a 68,62 cents/lb, alta de 2,26%. O contrato março/18 apresentou alta de 1,71%, a 69,09 cents/lb, enquanto o contrato maio/18 tinha alta de 1,66%, a 69,65 cents/lb. Impacto nas exportações Enquanto boa parte das áreas de trigo do estado não devem sofrer danos, as produções de soja e milho, além do algodão, podem sofrer os impactos do furacão, como apontou Ben Scholz, presidente da Texas Wheat Producers Board. Os portos no Golfo do Texas correspondem a 24% das exportações de trigo dos Estados Unidos, 3% do milho e 2% da soja, de acordo com a Soy Transportation Coalition, com base em dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). A maior parte dos carregamentos de soja e milho que poderão se afetadas é influenciada pelo potencial de impacto do Harvey em Lousiana e no Golfo do México. Cerca de 60% da soja norte-americana é embarcada na região, assim como 59% do milho. As chuvas torrenciais também podem danificar as produções ao mesmo tempo em que as exportações não ocorrem. O furacão ainda atinge uma área na qual existem milhares de cabeças de gado. Um serviço da Universidade do Texas está auxiliando os produtores em caso de necessidade de realocar os animais.
Agrolink - 28/08/2017
Ver esta noticia em: english espanhol
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2018 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP