quarta-feira, 06 de setembro, 2017

Minério de ferro pode atingir preço médio de US$ 70 no ano

São Paulo - A demanda consistente da China por minério de ferro deve beneficiar as cotações. O mercado já prevê um patamar médio dos preços no ano de US$ 70 a tonelada, podendo ainda ser influenciado pelas sanções à Coreia do Norte. Em agosto, o minério de ferro encerrou o segundo mês consecutivo com alta nos preços, com cotação média de US$ 77,3 a tonelada (insumo de teor contido de 62%, referência do mercado). Já o minério 65% - um dos grandes trunfos da Vale em Carajás - bateu a casa dos US$ 100 a tonelada no período. "Com a demanda chinesa ainda aquecida em infraestrutura e as crescentes restrições ambientais no país, a busca por minério de maior qualidade tem crescido, elevando o spread entre o minério de 62% e 65% de teor contido", explica o analista de mineração da Tendências Consultoria, Felipe Beraldi. Em relatório financeiro do segundo trimestre, a Vale reportou que a média para o prêmio do minério de alto teor verificada no período foi de cerca de US$ 13,61 a tonelada, "constituindo um recorde absoluto", destacou. "A pressão maior do governo chinês para combater os altíssimos níveis de poluição tem resultado no fechamento de usinas obsoletas e favorecido a demanda pelo minério 62%, que já é superior à média do produto na China, e do insumo com 65% de ferro contido", diz Beraldi. Enquanto os prêmios para o minério de ferro 65% chegaram a atingir US$ 100 a tonelada nos últimos dias, os descontos para o insumo 58% foram ainda maiores. Estimativas de mercado dão conta de que a cotação desse tipo de minério ficou abaixo dos US$ 50 a tonelada. No ano passado, o spread entre 58% e 65% chegou a apenas US$ 10. O professor de finanças do Ibmec/RJ, Gilberto Braga, observa que o governo chinês vinha afirmando, desde o ano passado, que o crescimento econômico do país viria por meio de incentivos ao consumo no mercado doméstico. "Porém, os indicadores demonstram que a China deve manter os estímulos à infraestrutura e construção civil, apesar do discurso, o que favorece o minério de ferro." Ele acrescenta que os preços podem saltar do atual patamar de aproximadamente US$ 70 a tonelada para cerca de US$ 90 até o final do ano com as sanções à Coreia do Norte, que exporta minério de ferro à China. "Esse fator pode resultar em demanda adicional ao Brasil, principalmente para a Vale." Estabilização Beraldi pondera, entretanto, que a tendência é que os preços se acomodem até o final do ano. "Os estoques de minério de ferro na China estão muito elevados. A demanda deve apresentar um arrefecimento e a oferta continuará em trajetória de crescimento", explica o analista. Na avaliação do professor do Ibmec, a China não deve reduzir substancialmente os investimentos em infraestrutura como vinha prometendo desde o ano passado. "Não enxergo ainda uma 'virada na chave' para o país asiático se tornar uma economia de consumo em detrimento dos estímulos à infraestrutura e construção civil", destaca Braga. De acordo com projeções da Tendências, a cotação média do minério de ferro para 2017 deve alcançar US$ 70,50 a tonelada. A última estimativa da consultoria contemplava um preço médio de US$ 64,10 a tonelada para o ano. "A melhora da demanda, impulsionada principalmente pelos estímulos à construção civil na China, contribuiu para este aumento", esclarece Beraldi. A média de preços prevista para 2017 representa um aumento de aproximadamente 22% em relação ao ano passado. "Devemos chegar a um nível mais próximo dos US$ 60 a tonelada nos próximos meses, mas os picos de preços observados no começo de 2017 contribuíram para uma alta na média anual", destaca. Em meados de fevereiro deste ano, a cotação do minério de ferro surpreendeu o mercado global ao atingir picos de até US$ 90 a tonelada.
DCI – 05/09/2017
Ver esta noticia em: english espanhol
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2018 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP