quarta-feira, 07 de fevereiro, 2018

Montadoras avançam na exportação, com Volkswagen na liderança do País

As montadoras estão elevando não só o volume de exportações de veículos, mas o valor das transações. Neste cenário, a Volkswagen lidera os embarques da indústria. Entre os modelos mais exportados do País estão os compactos Gol, da Volkswagen, e o Mobi, da Fiat, mas a indústria também tem registrado embarques de veículos de maior valor agregado. Em janeiro, as exportações, em volumes, tiveram incremento de 23,6% na comparação anual, para 47 mil unidades, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira (06) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Já em valores, houve crescimento de 8% na mesma base de comparação, para US$ 728 milhões. A Volkswagen encerrou 2017 na liderança de exportações de veículos no Brasil, com 163,3 mil unidades embarcadas no período. O volume equivale a 52,16% do total exportado no País. Somente em janeiro, o modelo mais embarcado pela empresa continuou sendo o Gol. No ano passado, além do compacto, a Volks embarcou o Voyage (24,8 mil), a Saveiro (24,2 mil) e o up! (20,8 mil). A montadora exportou mais de R$ 5,4 bilhões no período, o que representa um crescimento na receita de mais de R$ 1,4 bilhão em relação a 2016. A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) também comemora os números de 2017. “Tivemos o melhor resultado de exportações de veículos da nossa história”, destaca a empresa, em nota. A FCA embarcou mais de 145 mil veículos ao longo do ano, com uma expansão de 55% em relação ao ano anterior. De acordo com o grupo, os principais mercados de destino foram Argentina, México e Chile, entre outros países latino-americanos. Os modelos mais exportados pelo grupo são o Fiat Mobi, com 29 mil unidades embarcadas, a Fiat Strada (22,6 mil), o Jeep Renegade (19 mil), a Fiat Toro (17 mil) e o comercial Fiorino (15,7 mil). Balanço A produção de veículos em janeiro atingiu 216,8 mil unidades, aumento de 24,6% na comparação anual e de 1,5% em relação a dezembro, segundo dados da Anfavea. O volume produzido de automóveis e comerciais leves, que representam mais de 90% do setor, alcançou 207,9 mil unidades em janeiro, crescimento de 23,4% em relação a igual período de 2017 e avanço de 1,5% ante o mês imediatamente anterior. “O resultado de janeiro foi muito bom. Ficar dentro da média mensal dos últimos 10 anos indica que estamos saindo da fase depressiva da indústria”, disse ontem o presidente da Anfavea, Antonio Megale, em entrevista a jornalistas. Já a produção de caminhões somou 7,04 mil unidades em janeiro, incremento de 57,2% na comparação anual, porém, uma retração de 5,3% sobre o resultado de dezembro. Em ônibus, houve aumento de 70,1% do volume produzido em janeiro sobre igual período do ano passado, para 1,8 mil unidades, e de 37,5% em relação ao mês anterior. O presidente da Anfavea informou que os estoques ao final de janeiro eram suficientes para 38 dias de venda. Em dezembro, o giro era de aproximadamente 36 dias. Com a melhora dos níveis de produção, as montadoras vêm elevando gradativamente o ritmo de criação de vagas. Em janeiro, as contratações superaram as demissões e levaram à geração de 676 postos de trabalho. Considerando os últimos 12 meses, o saldo também é positivo, com a criação de 2 mil vagas. Diante deste cenário, o setor conta hoje com 128.951 funcionários, alta de 1,7% em relação ao nível de janeiro do ano passado. Licenciamentos As vendas de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus novos confirmam a tendência de crescimento traçada pelo setor. Em janeiro, os licenciamentos somaram 181,3 mil unidades, alta de 23,1% na comparação anual, conforme dados da Anfavea. “O número mostra que a recuperação, ao que tudo indica, deve continuar neste ano”, diz Megale.
DCI - 07/02/2018
Ver esta noticia em: english espanhol
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2018 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP