terça-feira, 27 de fevereiro, 2018

Terminais de uso privado são destaque nas estatísticas da Antaq

A Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) divulgou, no último dia 15 de fevereiro, as estatísticas do setor aquaviário de 2017. De acordo com os índices anunciados, os terminais de uso privado (TUPs) apresentaram crescimento de 9,3% na comparação com o ano anterior. Ainda segundo os números da agência, há mais de uma década que 65% de toda a carga transportada pelos portos brasileiros passa pelos terminais privados. Para o diretor-presidente da Associação de Terminais Privados (ATP), Murillo Barbosa, os dados reforçam a alta capacidade de operação dos TUPs e as projeções de aumento no investimento e expansão do setor. Entre os locais de destaque quanto à movimentação de contêineres, o executivo cita os terminais Chibatão, em Manaus, e Porto Itapoá (SC) que, em curto prazo, têm previsão de investimentos em equipamentos e modernização da infraestrutura para aumentar a área de armazenagem e expansão do cais. Já no médio prazo, o TUP Porto do Pontal, localizado na Baía de Paranaguá (PR), pretende iniciar suas obras no segundo semestre deste ano. “As soluções logísticas para o país passam pelos terminais de uso privado, que são a nova tendência no cenário portuário com a construção de grandes complexos, a exemplo do Porto do Açu”, afirmou o presidente da ATP. Ele destacou, ainda, que o desafio do setor é a melhoria na infraestrutura terrestre e aquaviária do país. Entre as principais mercadorias transportadas, o minério de ferro é o carro-chefe das exportações, com participação de 58%, seguido pela soja (10%), contêineres (7%), milho, açúcar, petróleo e derivados – que responderam pelo crescimento de 4%. O principal destino das exportações é a China, seguida pela Holanda e Malásia, que são entrepostos comerciais de distribuição para outras regiões. Em quarto lugar está o Japão e logo depois os Estados Unidos. Apenas na exportação de minério de ferro, 88% da carga enviada a outros países, o equivalente a 349 milhões de toneladas, passa pelos portos privados. Somente 12% são exportados via portos públicos, o que corresponde a 46 milhões de t. O diretor-geral da Antaq, Adalberto Tokarski, garante que o objetivo do órgão é visualizar o que precisa ser melhorado na gestão portuária, tirar a burocracia e dar agilidade ao setor. Durante a apresentação das estatísticas do setor, o executivo destacou o crescimento de 511% na movimentação de cargas do TUP Hidrovias do Brasil Vila do Conde, no Pará, que movimentou cerca de 4,7 milhões de t em 2017, tendo a soja e o milho como principais mercadorias. Também ressaltou o crescimento de 164% na movimentação de cargas do Terminal Integrador Portuário Luiz Antonio Mesquita (Tiplam), da operadora logística VLI, que transporta mercadorias como fertilizantes, soja, milho, açúcar e de 50% no Porto Sudeste do Brasil, em Itaguaí (RJ), que exporta minério de ferro.
Tecnologia e Logística - 22/02/2018
Ver esta noticia em: english espanhol
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2018 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP