quarta-feira, 09 de maio, 2018

Produção industrial cai em 8 dos 15 locais pesquisados em março pelo IBGE

Em março, a produção da indústria caiu em oito dos 15 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na comparação com fevereiro, conforme pesquisa divulgada nesta quarta-feira (9). A queda mais expressiva entre as regiões pesquisadas foi observada na Bahia. Lá, a produção recuou 4,5% motivada por quedas na produção de produtos químicos, derivados do petróleo e combustíveis. As outras regiões com queda na produção foram Rio de Janeiro (-3,7%), Nordeste (-3,6%), Santa Catarina (-1,2%), Rio Grande do Sul (-0,9%), Paraná (-0,9%), Minas Gerais (-0,5%) e Ceará (-0,2%). O Pará foi a região com a maior avanço na produção da indústria entre as sete regiões que tiveram alta no mês. O crescimento observado foi de 9% na comparação com fevereiro, influenciado, segundo o IBGE, pelo bom desempenho da indústria extrativa. A região de São Paulo, que possui o maior parque industrial do país, cresceu 2%, ficando acima da média nacional. No entanto, cresceu menos que Mato Grosso (4,7%), Espírito Santo (2,8%) e Amazonas (2,6%). As outras duas regiões com alta na produção foram Goiás (1,2%) e Pernambuco (0,2%). Considerando todas as regiões, a produção da indústria brasileira recuou 0,1% na passagem de fevereiro para março. Quando comparado com os resultados de março do ano passado, porém, a indústria nacional teve alta de 1,3%, o 11º avanço consecutivo nesta base de comparação. Comparação anual Na comparação com março do ano passado, também houve queda na produção em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE. Mas os resultados foram diferentes para cada região. A Bahia, por exemplo, que mostrou o maior avanço na passagem de fevereiro para março, recuou 5,3% em relação ao mesmo mês do ano passado - a queda mais expressiva. As expansões mais intensas na comparação com março do ano passado foram observadas no Amazonas (24,3%) e Pará (10,1%). São Paulo (4,0%), Mato Grosso (3,4%), Ceará (2,4%) e Santa Catarina (2,0%) também cresceram acima da média nacional (1,3%). Pernambuco (0,9%) completou o conjunto de locais com alta na produção nesta base de comparação. As quedas na comparação com março passado foram observadas, além da Bahia, no Rio Grande do Sul (-4,9%), Minas Gerais (-4,6%), Nordeste (-3,6%), Goiás (-2,5%), Espírito Santo (-2,4%), Paraná (-2,0%) e Rio de Janeiro (-0,3%). Acumulado no ano No acumulado do ano, o IBGE apontou que dez dos 15 locais pesquisados registram avanço na produção, sendo o mais expressivo observado no Amazonas (24,4%). Pará (8,1%), Santa Catarina (5,9%), São Paulo (5,4%) e Ceará (3,3%) também registraram crescimento acima da média da indústria nacional (3,1%). Também tiveram alta Rio de Janeiro (3,0%), Pernambuco (1,0%), Bahia (0,9%), Mato Grosso (0,5%) e Rio Grande do Sul (0,3%). Já Espírito Santo (-6,0%) apontou o recuo mais intenso no acumulado no ano, seguido por Minas Gerais (-2,5%), Paraná (-1,2%), Goiás (-1,0%) e Região Nordeste (-0,3%).
G1 - 09/05/2018
Ver esta noticia em: english espanhol
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2018 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP