quarta-feira, 13 de março, 2019

Cobre opera estável, de olho no Brexit e em indicadores chineses

Os futuros de cobre operam perto da estabilidade nesta manhã, em meio a incertezas sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, o chamado Brexit, e à espera de uma série de indicadores relevantes da China. Por volta das 7h50 (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) se mantinha estável, a US$ 6.468,00 por tonelada. Na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para entrega em maio tinha alta marginal de 0,07%, a US$ 2,9305 por libra-peso, às 8h50 (de Brasília). Ontem, o Parlamento britânico rejeitou pela segunda vez o acordo de Brexit proposto pela primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May. Nesta quarta-feira, os parlamentares vão decidir sobre a possibilidade de um Brexit sem acordo. Se esta opção também não for aceita, eles votarão amanhã o possível adiamento da data final – o próximo dia 29 – para a implementação do divórcio do Reino Unido com a UE. Investidores dos mercados de metais também aguardam os últimos números sobre produção industrial, vendas no varejo e investimentos em ativos fixos da China, que serão divulgados no fim da noite de hoje. Mais adiante, na sexta-feira (15), o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, deverá discursar no encerramento do Congresso Nacional do Povo. Os chineses são os maiores consumidores mundiais de cobre. Entre outros metais básicos na LME, não havia direção única. No horário indicado acima, a tonelada do alumínio tinha alta de 1,01%, a US$ 1.896,50, a do zinco caía 0,65%, a US$ 2.823,00, a do estanho recuava 0,33%, a US$ 21.150,00, a do níquel cedia 0,95%, a US$ 12.995,00, e a do chumbo subia 0,81%, a US$ 2.103,00 por tonelada. Com informações da Dow Jones Newswires.
IstoÉ - 13/03/2019
Ver esta noticia em: english espanhol
Outras noticias
DATAMARK LTDA. © Copyright 1998-2019 ®All rights reserved.Av. Brig. Faria Lima,1993 3º andar 01452-001 São Paulo/SP